Buscar
  • diocesedenazare

CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2019



Na quarta-feira de Cinzas, dia 06 de março, a Igreja iniciou o tempo quaresmal, cuja origem remonta do século IV. São quarenta dias em que se convida a uma profunda preparação, sobretudo através da escuta da Palavra de Deus, para a festa magna da Igreja: a Páscoa do Senhor.

No Brasil, desde a década de 60, a Igreja realiza neste período a “Campanha da Fraternidade” (CF), que teve sua origem na Arquidiocese de Natal – RN, no ano de 1962. Sua aprovação pelo Episcopado Brasileiro como uma ação da Igreja no Brasil aconteceu em 1964. No decorrer de 55 anos, os temas da Campanha da Fraternidade têm abordado questões internas da Igreja (Tema: Igreja em renovação / Lema: Lembre-se: você também é Igreja - 1964); questões sociais, além das circunstâncias em que se encontra o povo brasileiro.

Diante da importância da Campanha da Fraternidade, desde o ano 2000, a cada cinco anos, várias igrejas cristãs têm firmado parceria, numa linha ecumênica, para realizar a CF. A última foi no ano 2017, que versou sobre o tema do saneamento básico: Tema - “Biomas brasileiros e a defesa da vida”, e lema - “Cultivar e guardar a criação” (Gn 2,15).

Os temas abordados pela CF são de tamanha relevância que excedem o tempo quaresmal, pois a luta pela vida, e “vida em abundância” (cf. Jo 10,10), é missão intransferível e incansável da Igreja de Cristo. Dessa forma, a Campanha da Fraternidade, realizada no tempo quaresma, nos ajuda a vivenciar de forma muito concreta as exigências batismais: “a penitência do tempo quaresmal não seja somente interna e individual, mas também externa e social” (SC, 110).

Nesse sentido, a CF 2019 com o tema: Fraternidade e Políticas Públicas, e o Lema: “serás libertado pelo direito e pela justiça” (Is1,27) se constitui “uma voz que clama no deserto” (Jo 1,23) para despertar o Povo de Deus para refletir uma realidade muito gritante em nossa sociedade. “É sobre Políticas Públicas que queremos refletir nessa CF 2019. Política não é coisa suja. Queremos refletir sobre saúde, educação, habitação, segurança, mobilidade, orçamento participativo, etc”. (Dom Paulo Jackson Nóbrega de Sousa – Bispo Referencial para as Campanhas, NE II).

À luz da Palavra de Deus e da sua doutrina, a Igreja convida a uma participação popular na elaboração das Políticas Públicas que não se restrinja ao voto, a fim de fortalecer a cidadania e o bem comum, sinais da fraternidade. Uma participação consciente exige um acompanhamento efetivo nas ações daqueles que governam. A leitura e as reflexões oferecidas pelos subsídios da CF são importantes para a compreensão da temática abordada neste ano.

Na realidade da Diocese de Nazaré, esta campanha complementará o conteúdo do I Curso de Extensão Universitária – Cidadania e Participação Social, que objetivou fortalecer e qualificar a participação dos representantes do terceiro setor nos espaços reguladores de políticas públicas.

Quaresma é tempo de conversão para subir com Cristo à Jerusalém, mas também é oportunidade para fortalecimento do compromisso com os irmãos e irmãs menos favorecidos. Refletir sobre este tema é uma oportunidade para se defender a vida, pois a ausência de Políticas Públicas é uma ameaça à vida, e o cristão é defensor da vida, pois “sob a ótica da Cruz até nosso inimigo é irmão de sangue” (A. Pronzato).


Padre Antônio Inácio

(Paróquia Nossa Senhora da Glória)


51 visualizações

© 2016-2018 por Cúria Diocese de Nazaré.