Buscar
  • diocesedenazare

América em Missão: Padres da Diocese de Nazaré participam do CAM 5



Padre Genilson Sousa (pároco de Nossa Senhora do Desterro, em Itambé) e padre Simeão Dantas (vigário da Área Pastoral São Lourenço, em Goiana) estiveram na Bolívia, representando a Diocese de Nazaré no V Congresso Missionário Americano (CAM 5). O encontro aconteceu na cidade de Santa Cruz de La Sierra, no período de 10 a 14 de julho, e reuniu missionários e missionárias de diversos países da América. Dentre eles, leigos e leigas, sacerdotes, diáconos, bispos, religiosos e religiosas e seminaristas.


Padre Genilson Sousa, assessor da Infância missionária na Diocese de Nazaré, fala um pouco de sua experiência. “Estar com pessoas de diversos países da América foi uma experiência única, muito rica. É preciso sair do lugar comum para ver a nossa casa sob outra ótica; para ver nossa paróquia, a diocese, o Estado, o Brasil, a vida, as pessoas e até mesmo Deus de uma outra maneira. A missão é de Deus e Ele mostra sua beleza quando saímos de nós para irmos ao encontro do outro, como Ele fez vindo habitar no meio de nós”, partilhou entusiasmado.

O CAM 5 reuniu mais de 2.500 missionários de 24 países do continente americano. A delegação brasileira, composta de 175 pessoas vindas dos 18 regionais da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), teve uma participação destacada na oração da manhã de quinta-feira, 12. Na manhã da sexta-feira, 13, os brasileiros apresentaram o testemunho missionário do padre italiano, padre Ezequiel Ramim, missionário comboniano que chegou ao Brasil em 1983. Por causa de sua luta em defesa dos direitos dos pobres, foi assassinado, aos 32 anos, no dia 24 de julho de 1985, em Cacoal, diocese de Ji-Paraná, em Rondônia, onde trabalhava desde que chegou ao Brasil.


As temáticas dos foros foram trabalhadas a partir da perspectiva do Evangelho, da Missão e da Humanidade. Alguns tópicos importantes discutidos durante o Congresso foram: "Alegria apaixonante do Evangelho", por Dom Guido Charbannea, Honduras; "Anunciar o Evangelho ao mundo de hoje", por Dom Santiago Silva, Castrense, Chile; "Discípulos testemunhas da comunhão e reconciliação", por Pe Sérgio Montes (Jesuíta), Bolívia; "Profetismo e Missão", por Dom Luis Augusto, Colômbia; “A missão ad gentes em e a partir da América”, por Dom Vittorino, Costa Rica.

Segundo Dom Girardi, bispo emérito de Tiralán-Liberia, ao falar em missão é preciso recomeçar de Cristo. Ele destacou que a missão não é apenas o meio que a Igreja tem de levar o evangelho a quem não conhece Jesus Cristo, mas também o modo próprio e concreto de a Igreja se colocar à disposição de Jesus e do Espírito Santo. “A missão não começa com a Igreja, mas esta é que se põe à disposição da missão, constituída, ela mesma, em missão. A Igreja é missão!”, sublinhou.


Padre Genilson lembra, ainda, de outra questão abordada: a capacidade e a necessidade de ver os sinais de Deus na vida dos povos, na cultura, na ações e vivências do Evangelho na vida das pessoas. Pois o Evangelho ajuda a enriquecer a vida. “O cristão é chamado a transmitir a alegria de anunciar Jesus Cristo (vivo e presente em nossos povos), nas diversas situações da vida”, recordou.

O Congresso também trouxe à tona a discussão sobre o protagonismo das mulheres na Igreja. O presidente da Conferência Episcopal do Chile, dom Santiago Silva Retamales, defendeu o protagonismo dos leigos na evangelização, especialmente das mulheres. “Particularmente as mulheres não podem continuar ocupando um segundo ou terceiro lugar na Igreja, mas, por identidade e missão, devem ter parte ativa nas decisões, elaboração e execução da evangelização”, destacou. “Abrir espaços eclesiais [para os leigos] não é um favor que se concede, mas exigência de um direito que os leigos têm”, completou.

Experiência marcante no Congresso foi a missão porta a porta realizada nos bairros de todas as paróquias. Os congressistas ficaram em casas de famílias e tiveram um dia de convivência com os fiéis das comunidades paroquiais. "O objetivo desse Congresso foi mostrar que a missão da Igreja na América, e no mundo, é fruto de uma alegria que vem de Jesus", comentou o assessor da Infância Missionária de Nazaré.


A abertura do Congresso foi realizada na última terça-feira, 10, com a missa na praça da Catedral de San Lorenzo, presidida pelo enviado especial do papa Francisco, cardeal Fernando Filoni; e o término aconteceu no último sábado, 14, com missa às 16h (17h – hora de Brasília).

Ao final da celebração de encerramento do CAM 5, Porto Rico recebeu, com grande entusiasmo, a notícia de que será a sede do 6º Congresso Missionário Americano em 2023. O anúncio foi realizado por Dom Sergio Gualberti, arcebispo da Arquidiocese de Santa Cruz.

Foi entregue à delegação de Porto Rico um símbolo esculpido em madeira, que carrega a cruz de Evangelização (sinal do caminho) dentro da imagem de Cristo ressuscitado. O símbolo também tem a imagem da Virgem de Guadalupe, Padroeira das Américas, e a figura de Jesus abraçando uma pessoa, que representa a todos a quem a Alegria do Evangelho deve vir.


Com informações das Pontifícias Obras Missionárias (POM)


155 visualizações

© 2016-2018 por Cúria Diocese de Nazaré.